Primeiro dia da JMJ- Chegada do Papa Francisco

Imagem

  Jornada Mundial da Juventude 22/07/2013

Dia de Santa Maria Madalena

Jo 20,1-2-2.11-18

“Tiraram do túmulo o Senhor e não sabemos onde o colocaram.”

O relógio marcava 15h50min (Horário Oficial de Brasília), quando o avião da Alitália, manobrava em solo brasileiro. Exatamente às untitledp16h00minh o Papa Francisco desceu a escadaria da aeronave, e iniciava assim sua primeira visita como Sumo Pontífice ao país, e foi recebido pela “presidenta” Dilma Rousseff. Seguiram-se os quase intermináveis cumprimentos, a saudação da guarda. Apertos de mão em políticos e outras autoridades, até que se encontra com Dom Orani Tempesta (arcebispo do Rio de Janeiro) e Dom Raimundo Damasceno (arcebispo de Aparecida e presidente da CNBB) e o aperto de mão foi substituído por calorosos abraços, no reconhecimento de quem é um velho amigo. As crianças receberam o Papa no Aeroporto com um coral, entoando a bela canção da JMJ. Enquanto que a presidenta esforçava-se para não sair do fogo das lentes ao lado do Santo Padre. O Papa que ainda é chamado de Papa argentino como se a igreja não fosse Uma, Santa e Pecadora, se tivéssemos uma divisão de eleitos, e o Papa não viesse em nome da unidade e não da separação. O Evangelho narrado por João neste dia dedicado a Maria Madalena, traduz o que poucos querem ver, um Jesus único para todos. As mulheres que vão ver como estava o seu mestre, justo estavam juntas três Marias (a formação estelar é uma homenagem a elas três Marias) e entre estas além da mãe estava à discípula discriminada, que nunca foi declarada, mas estava sempre presente, e a estas foi anunciada a ressurreição (não só o prenúncio dito por Jesus), mas “in loco”. Assim por dizer que o Papa é argentino, parece que existe uma enorme barreira entre ele e os brasileiros, inimigos declarados do povo vizinho… mas foi a este homem que a graça de ser o SUCESSOR de Pedro, foi dada. Sucessor e não “herdeiro” como imagesCA53D3DYalguns veículos de imprensa anunciaram, e nem sucessor de Bento XVI como outros insinuaram. Mas bem, o Papa saiu do aeroporto e foi em um carro comum (apesar de não ser o simples que tanto anunciaram) e demariamadalena_4 vidro aberto, cercado por seguranças, viu os jovens, o Povo de Deus ansioso por vê-lo logo na chegada, lotando ruas… Ai aconteceu o chamado e alardeado “Erro de Segurança” e o carro que deveria seguir por ruas previamente fechadas (que causavam caos também e atrapalhavam o fluxo de carros) entrou no meio do congestionamento e parou…

…Narradores deste fato fizeram um drama sem igual. O apresentador Datena da Band parecia excitado com o fato e gritava a alto (e péssimo som) contra a falha de segurança, e contava segundo por segundo com cada “risco iminente” que o Papa corria. Voltei a outro canal e a situação de tensão narrada era indescritível… Mas o Papa não estava com medo, estava sorridente, não aceitando erguer o vidro do carro e saudando a todos… por vezes quase saiu do carro, para o desespero louco dos assustados agentes da Polícia Federal (eles nunca vivenciaram isso)… Era o Povo de Deus querendo uma oportunidade rara de chegar próximo ao Papa, em uma histeria talvez exagerada, mas justificável… O pastor estava entre suas ovelhas, e um pastor que teme sua criação não está apto para ser este pastor…

Depois o papa fez um passeio de papamóvel (nome horrível por sinal) e mais uma vez a multidão demonstrou como será esta jornada (como foi, aliás).

O papa depois disto tudo foi de helicóptero cumprir (com certeza) a sua mais indigesta parte da agenda e foram recebidos no Palácio do Guanabara (sede do governo) por muitas “autoridades” incluindo o prefeito e o governador do RJ, políticos, convidados e novamente só que agora oficialmente, a “presidenta” Dilma. Esta que num ato de pura demagogia e falta de senso, aproveitou a imprensa do mundo todo e em sua fala de acolhida, fez um discurso-propaganda de mais de meia hora, enaltecendo o Brasil que pela fala dela, nasceu só há dez anos, e despejou uma tonelada de autoelogios ao seu governo e ao do antecessor, pintando um quadro mágico do país (que o Papa veria não ser tão lindo assim depois). Por outro lado o Papa Francisco pediu licença para bater a nossa porta e ser acolhido durantes os dias em que ficaria por aqui, e em menos de 15 minutos terminou sua rica fala. Ele disse que não trazia nem ouro, nem prata, mas sim o que lhe foi dado de mais preciso: Jesus. Após tudo isso, um jantar e tal, o Papa foi descansar. E as ruas do rio antes tomadas por fiéis, foram incendiadas por coquetéis molotov (bombas incendiárias) pelos ainda chamados “(manifestantes pacíficos)”.