Só em Deus

Não Perca Mais Tempo – 6/45

Muito se fala na dúvida da existência de Deus. Discussões sobre a fé de cada um.

Nós somos livres para acreditar ou não em algo divino, ou maior que nós. É difícil crer sem ter visto,  Tomé que o diga, mas também é difícil não acreditar em nada.

O problema está nos que não acreditam em nada, que querem a todo custo que os outros também não acreditem em nada… Mas o problema também está nos que acreditam em Deus e querem a todo custo que todo mundo acredite… Os dois lados julgam o outro, os dois lados estão certos, os dois lados estão errados!

Não crer em nada tira o medo de um possível acerto de contas final, e assim não há limites para o que se faz, já que “bem” ou “mau” é uma questão de opinião. São estes que são capazes dos maiores desafios, até imprudentes, mas são estes também os dados aos exageros e falta de respeito com o próximo, ou simplesmente não são capazes a té de amar (claro que sem generalizar).

Crer cegamente também tem seus problemas, pois leva a condenar muito os outros. Os limites impostos pela fé também trazem consequências, como condenar uma pesquisa com células troncos (para um futuro bom uso) sem muitas vezes se aprofundar no assunto. Muitos esperam que Deus resolva tudo a hora que ele puder , perdendo muitas vezes a chance de resolverem sozinhos (claro que sem generalizar).

Então cada um deve tocar a própria vida. Respeitar a fé (ou não) de cada ser, e saber fazer da vida uma coisa boa. Ninguém tem o direito de julgar ou até de forçar que o outro siga a sua linha de pensamento, convicções e ações. A lei brasileira garante direito e liberdade de culto a qualquer pessoa dentro do seu território, seja qual for sua religião e até a falta dela, ninguém pode humilhar, discriminar, constranger ou perseguir o outro pelas questões de fé (veja trecho da Lei no final do texto).

Tudo isso, essa liberdade também foi dada para os que creem pelo próprio Deus (livre arbítrio) e confirmada por Jesus Cristo quando os Evangelhos narram que ele dá um novo mandamento: “Amar ao próximo como a si mesmo.”

Nós podemos encontrar a força necessária em muitos lugares: livros, frases, palestras, conversas, filmes, musicas, etc… mas acima de tudo podemos fazer da vida algo “melhor” (conforme o pensamento de cada um do que seria este melhor) respeitando a divergência de opiniões.

Eu sigo em paz com Deus. Você segue em paz como achar melhor. O que não dá pra fazer é criar inimigos, porque não concordam com você. Para quem crê, todos estão sob o amor de Deus, para quem não crê isso pouco importa.

Art. 5, inc. VI da Constituição Federal de 88

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

VI – é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

Vai Valer a Pena

Série: Não Perca Mais Tempo – 5/45

O vídeo mostra muito mais que mil palavras.

Não compreendo os Teus caminhos
Mas Te darei a minha canção
Doces palavras Te darei
Me sustentas em minha dor
E isso me leva mais perto de Ti
Mais perto dos Teus caminhos
E ao redor de cada esquina, em cima de cada montanha
Eu não procuro por coroas, ou pelas águas das fontes

Desesperado eu Te busco
Frenético acredito
Que a visão da Tua face
É tudo o que eu preciso, eu Te direi
Que vai valer a pena
Vai valer a pena
Vai valer a pena, mesmo

Não compreendo os teus caminhos
Mas te darei a minha canção
Doces palavras te darei, te darei, te darei
Me sustentas em minha dor
E isso me leva mais perto de Ti
Mais perto dos Teus caminhos

E ao redor de cada esquina
Em cima de cada montanha
Eu não procuro por coroas
Ou pelas águas das fontes
Desesperado eu te busco
Frenético acredito
Que a visão da tua face
É tudo, tudo, tudo o que eu preciso
Eu Te direi
Que vai valer a pena
Vai valer a pena
Vai valer a pena, mesmo

Senhor valeu a pena
Senhor valeu a pena
Senhor valeu, valeu, valeu, valeu

A paz que eu sempre quis

Série: Não Perca Mais Tempo – 4/45

“Confuso estava o meu coração quando eu cheguei aqui
Não estava em sintonia com o Senhor 
mas ao desenrolar do dia eu pude perceber
A paz que eu sempre quis
Estava no silêncio que eu nunca fiz
E de repente uma brisa mansa abriu meu coração
Mergulhei nesse amor A paz que eu sempre quis
Estava no silêncio que eu nunca fiz
E de repente uma brisa mansa abriu meu coração
Mergulhei nesse amor de Deus”

A vida tem sido acompanhada de barulho. Tem o barulho do trânsito, do trabalho, das pessoas sempre falantes. É tanto barulho que quando estamos em casa sozinhos, sentimos falta dele e ligamos o rádio ou colocamos música para tocar, pois só assim conseguimos realizar alguma tarefa. Tem o barulho dos vizinhos, de carros de propaganda, de carros tocando músicas de gosto duvidoso, de motos com o escapamento aberto, de buzinas nos congestionamentos, da campainha do ônibus, da balada, do mercado cheio, das lojas, das obras em todos os lugares, do povo sem educação que fala gritando, etc… você pode até lembrar-se de mais alguns barulhos de hoje em dia.

Para fugir destes barulhos, você coloca seu fone de ouvido no seu celular (oi I-Pod) e aumenta no máximo volume e tenta fugir ouvindo mais barulho. Utópico não?

Mas é a realidade destes nossos tempos “modernosos”. O barulho constante tira a sua atenção e traz irritação. Eu sei muito bem disto pois já trabalhei em uma Metalúrgica operando prensas, e mesmo com o protetor auricular, pelo menos 20% deste barulho chegava até meus ouvidos, resultado de 8 anos lá, eu tenho dificuldade para escutar algumas coisas e o excesso de barulho me irrita (apesar de não ter nenhum problema de audição constatado).

Como então podemos ter a paz necessária para refletirmos sobre nós e nossos problemas? Como podemos orar (para quem tem fé) ou até descansar neste mundo tão barulhento?

Alguns se refugiam em cidades pequenas do interior dos estados. Mas chegam lá vão para o comércio, fazem churrascadas, isso quando não vão e praticam algum esporte radical. Mas o que precisamos mesmo é de um pouco de silêncio.

Silêncio e paz. Procurar por um refúgio sossegado é apenas uma solução paliativa para o nosso problema de excesso de barulho. O silêncio nosso de cada dia, deve ser conquistado também onde passamos a maior parte da nossa vida: no nosso lar. Dormir com a TV ou conectado a internet não é o caminho. Só o fato de você ter uma TV no seu quarto já vai contra a ideia de descanso e repouso.

A paz que você procura para ter discernimento e acalmar seu coração está no SILÊNCIO que você mesmo nunca faz. Até para rezar a Deus é necessário silêncio, pois é neste ambiente que você vai ouvir a voz dele.

Reflita um pouco, e faça a experiência de silenciar-se por algum tempo e descubra como você dormirá melhor e descansado(a) terá disposição para enfrentar o dia a dia melhor. É um exercício diário muito gratificante.