Talvez seja só impressão

Série Não perca mais tempo 14/45

Cada dia que passa, o mundo parece mais e mais voltado para a violência. São noticias de guerras, de mortes, roubos e crueldades. Nem mesmo as crianças, antes tão protegidas, estão imunes a tanto sofrimento e o pior muitas vezes vindo dos próprios pais.

As pessoas foram pouco a pouco se fechando em si, sendo egoístas ao extremo, usando como modelo atos ou pessoas discutíveis, inspirando-se em modelos deturpados de vida, em nome da tão sonhada “liberdade” e acabaram presas dentro de suas próprias casas. Ou não é assim?

Quem hoje tem coragem de ficar em um ponto de ônibus tarde da noite? Quem não fica preocupado ao estar andando sozinho pela rua de sua casa, em um horário incomum, digamos uma madrugada, e se depara com uma ou duas pessoas indo ao seu encontro? Quem não tem medo de ser assaltado?

Ainda mais com o câncer da TV que brada a altos pulmões casos e mais casos sangrentos.

Nunca houve tantos crimes. Nunca houve tanta polícia nas ruas (protegendo-se a si mesma), nunca houve tantas mortes.

As pessoas se afastam da fé, seja em qual for. As pessoas tem tentado ser auto-suficiente enquanto sabemos que ninguém é, já que sempre dependemos do outro. Assim fez um dia Deus (se você acredita) todos dependentes de todos. Afinal quem planta, colhe e quem vende nem sempre é o mesmo que compra, paga e usa.

Talvez seja só minha impressão, mas tem faltado amor, tem faltado FÉ, tem faltado humanidade.

Apenas para que cada um reflita um pouco.

Falta um abraço

Eu te amo tanto/Padre Marcelo (click no link abaixo)

Série Não Perca Mais Tempo 13/45

Hoje estamos cercados de tecnologia para todos os lados. Existem vários aplicativos para que possamos trocar mensagens “em tempo real”. Por ai chegam os Whatsapp, Messenger, MSN da vida. Tudo em nome de uma “economia de tempo”.

Pergunto então: Economizar tempo com quem se ama??????

Ninguém trabalha mais apenas 8 ou 10 horas (ou 12 como eu), agora o trabalho se estende por todo o tempo em que você fala ou trabalha conectado lendo e-mails ou se comunicando via internet com o seu serviço.

Ninguém dorme mais sem estar recebendo suas notificações do que todos estão fazendo no Facebook ou em qualquer outra destas tecnologias.

As pessoas fazem aniversário e recebem cumprimentos pelo Facebook, não porque lembraram daquela pessoa em especial, mas sim porque recebeu o aviso da Rede Social. É bom? Em partes. Tudo que é demais é sobra assim diz minha querida mãe. Valeria o “aprecie com moderação” nestes casos.

Sabe porque falo isso?

Simples… hoje estamos trocando o contato, a visita, o olho no olho pela tal “facilidade” do click no celular, nos aplicativos, nas redes sociais virtuais. Nem mesmo uma ligação de quem está distante para se perguntar como a outra pessoa está ouvindo a voz tem sido feita. Existe a chamada: mensagem de voz, que quem recebe ouvirá se puder e quando der.

Falta sim o abraço, o sentir o calor do outro, a emoção de estar juntos.

Não sou hipócrita de afirmar que as novas tecnologias auxiliam nas grandes distâncias, são boas em bastante momentos… Mas também não podemos fingir-se de desentendidos e não percebermos o quanto tudo isso tem nos tornado cada vez mais distantes fisicamente. O que veio para ironicamente, “encurtar distâncias” cria uma distância emocional ainda maior. E quem não tem acesso a esta modernidade se torna um “pária” na sociedade virtualizada e “antenada”.

Você nunca pensou que uma ANTENA serve para captar sinais distantes de você? Então estar “antenado” é o mesmo que saber muitas coisas distantes de você.

FALTA UM ABRAÇO!!!!!

Falta sairmos da nossa zona de conforto e irmos em direção a quem amamos. Falta um abraço porque quando você conversa com alguém estando junto dela, as atenções são exclusivas… Quando você apenas fica trocando mensagens o interlocutor pode estar fazendo mil outras coisas e não se concentrando em você.

Não perca mais tempo. Abrace, enquanto pode, a quem você ame ou tenha uma verdadeira consideração.