Você é um viciado em Internet?

image002 (2)

A revista Veja (edição 2413 – ano 48 – nº 7 – de 18 de fevereiro de 2015) publicou uma matéria intitulada Tchibum! falando sobre o detox digital que é sobre a desintoxicação digital. Dentro da reportagem várias pessoas falaram sobre como se livraram da dependência exagerada e do vício em redes sociais.

Também foi publicado um teste para avaliar seu limite no uso da mídia digital. Reproduzo aqui o teste para que cada um o faça e saiba como está seu relacionamento com a internet.

QUAL É O LIMITE?

Um teste para saber se sua rotina on-line está sob controle ou se já pode ter afetado negativamente a vida off-line. (MUNDO REAL)

Um brasileiro com fácil acesso a redes wi-fi passa na internet cerca de 9 horas diárias. É muito. Os médicos indicam que mais de 03 horas é atalho para transformar o hábito em uma rotina prejudicial à saúde.

Responda o teste abaixo e saiba se é viciada (o) na internet.

  1. A) NUNCA OU RARAMENTE
  2. B) ÀS VEZES
  3. C) FREQUENTEMENTE
  4. D) MUITO FREQUENTEMENTE
  5. E) SEMPRE

 

1) Usualmente permanece on-line mais do que o previsto, esquecendo de realizar outras tarefas ?

A – B – C – D – E

 

2) Costuma trocar momentos ao lado da família e de amigos(as) por mais tempo em sites , apps e games?

A – B – C – D – E

3) Conversa com pessoas exclusivamente pela internet ?

A – B – C – D – E

 

4) Amigos e familiares queixam-se da quantidade de tempo que você passa conectada (o) ?

A – B – C – D – E

5) Seus hábitos on-line prejudicam o desempenho no trabalho ou nos estudos ?

A – B – C – D – E

6) A primeira atitude que toma ao acordar é verificar e-mails , Facebook, Twitter, Instagram ou WhatsApp ?

A – B – C – D – E

 

7) Para distrair-se de problemas reais, costuma relembrar informações vistas na internet, ou mesmo volta a acessá-las.?

A – B – C – D – E

8) Reclama, grita ou se irrita se alguém a incomoda enquanto está conectada.?

A – B – C – D – E

9) Escolhe dormir menos para ficar on-line até mais tarde ?

A – B – C – D – E

10) Quando está em uma festa, em uma viagem ou durante uma reunião familiar, sente-se compelida a checar com frequência e-mails, Facebook, WhatsApp, Instagram ?

A – B – C – D – E

11) Quando é obrigada a se manter desconectada, fica ansiosa, imaginando ter perdido algo muito importante.?

A – B – C – D – E

12) Mente a pessoas próximas sobre quanto tempo realmente gasta on-line em atividades alheias ao trabalho, como no Facebook ou no Instagram?

A – B – C – D – E

13) Opta por passar mais tempo na internet em vez de sair com outras pessoas?

A – B – C – D – E

14) Esconde seus hábitos on-line (a exemplo dos sites que costuma acessar) de amigos e familiares?

A – B – C – D – E

15) Tenta diminuir o tempo que passa on-line e não consegue?

A – B – C – D – E

SOME DOS PONTOS:

LETRA      A  B  C  D  E

PONTOS    1   2   3    4   5

RESULTADOS:

DE 15 A 37 PONTOS:

SOB CONTROLE – Você sabe a importância de deixar os atrativos virtuais de lado para aproveitar momentos com pessoas de que gosta. E claro que eventualmente se pega passando mais tempo nas redes sociais do que esperaria, mas, de forma geral, se controla.

DE 38 A 59 PONTOS:

ATENÇÃO! Apesar de achar que permanece on-line tanto quanto qualquer outra pessoa, amigos e familiares já devem ter pedido a você que desligasse o celular ou saísse da frente do computador- e note se essas reclamações não são mais frequentes do que esperava. No trabalho, talvez conseguisse ir embora mais cedo se deixasse de trocar tantas mensagens no WHATSAPP.

DE 60 A 75 PONTOS:

PASSOU DO LIMITE! O tempo que permanece conectado deve estar prejudicando-a em vários campos da vida. Procure refletir sobre o espaço que a rede tem no seu dia-a-dia e quais outras atividades está deixando de lado para ficar na frente da tela. Pondere se um esforço para se desligar do mundo virtual e curtir o MUNDO REAL não valeria a pena.

Obrigações

Série: Não perca mais tempo 21/45

Vejo-me (e também outras pessoas) preso ao que chamo de obrigações, algumas coisas que erroneamente (penso eu) impomos a nós mesmos como algo obrigado.

Pensando um pouquinho eu conclui que isso não existe. O que existe são compromissos firmados por nossa própria vontade e não algo que possa nos ser imposto.

Vou tentar ser mais específico. Quando você começa a trabalhar você tem que cumprir certas tarefas que só serão cumpridas porque você se comprometeu a fazer e não porque você é obrigado, mesmo porque se você quiser você pode simplesmente sair daquele trabalho.

Você não é obrigado a fazer a lição de casa, a comer, a acordar cedo, assim como não é obrigado a pagar as prestações do carro que você financiou, mas é claro que cada compromisso não cumprido acarreta uma consequência, mas mesmo assim cabe a você avaliar se pode ou não arcar com elas.

Eu não tenho obrigação de escrever este blog mas escrevo com prazer.

Já me vi atado por “obrigações”  a ponto de deixar de viajar ou adquirir algo que me desse satisfação pessoal. Quem diz ter muitas obrigações não vive, quem tem muitos compromissos idem.

Devemos (e aqui eu faço um mea culpa) escolher com cuidado nossos compromissos e tentar ficar com poucos por vez pois só assim nos sobra tempo para realmente vivermos.

Melhor seria não amar?

Série: Não perca mais tempo 20/45

A intensidade com que amamos alguém (ou algo) media as nossas ações. Muitas vezes elas são movidas pelo ímpeto deste sentimento que parece nos consumir como o fogo consome a grama seca.

Nosso discernimento fica comprometido e o alvo do nosso amor é tudo o que importa.

Isso tem o seu lado bom quando somos retribuídos com igual emoção, então achamos que estamos no paraíso.

Por outro lado quando acontece o contrário ficamos destruídos emocionalmente e achamos que nosso mundo acabou.

As nossas emoções poderiam ser melhor controladas se tivéssemos a total compreensão de que a outra parte independe de nós e age autônoma. Ou seja nós sabemos o que sentimos e (quase) temos certeza de que aquilo é para sempre. Mas deveria haver o respeito pelo que o outro realmente sente por nós.

Difícil? Com toda a certeza.

O que não dá é para ficar parado no tempo esperando que a outra parte mude de ideia, ou pior ainda tentar destruir a felicidade do outro porque não foi com você que a felicidade realmente chegou.

A vida é cíclica, e o que se sofre hoje passa.

Amar é maravilhoso. Ser amado mais ainda!

Por isso que existem diversos tipos de amor:

  • Pelos nossos pais
  • Por outra pessoa
  • Pelos amigos verdadeiros
  • Pelos nossos irmãos
  • Por nossos filhos

A intensidade é a mesma, mas muda-se alguns objetivos.

Para quem tem fé, existe o chamado Amor Maior que foi no instante em que Deus  nos amou de tal maneira que deu seu filho único para expiar nossos pecados. Eu retiraria o verbo amor do passado e o conjugaria no presente, então não seria mais amou e sim ama .

Exemplo de amor. Mas de tantas decepções (ou mal julgamentos ?) muitas pessoas dizem que melhor seria não amar. Eu penso diferente, melhor é amar do que nunca ter amado, porque das boas e más experiências é que crescemos como seres humanos. O importante é seguir a vida, seja junto ou separado e dar uma chance a você mesmo.