Jovens e sem perspectiva

Série: Não Perca Mais Tempo 37/45

Os tempos são outros a bem da verdade,  mas é perceptível as mudanças de atitude desta geração de jovens que chegando no limiar da idade, não são mais crianças mas ainda não são adultos e por outro lado ainda não tem a mínima perspectiva do que querem ser.
Muitos sonham com carreiras brilhantes, mas não querem o compromisso de estudar para isso. Outros querem o que há de ” melhor” no mundo, mas não querem que isso exija nenhum esforço. Muitos não tem sonhos apenas por saberem que para realiza-los terão que acordar.
Cada dia mais vão adiando o inevitável.
Já disse um dia José Wilker:
” Só no dicionário a palavra sucesso vem antes de trabalho.”
Para piorar, na minha opinião, temos uma geração cada vez mais afeiçoada as drogas, sejam lícitas (como o álcool) ou ilícitas ( maconha, cocaína, crack) . Uma geração que tem um acesso muito mais intenso a informação e mesmo assim vive alienada e porque não dizer cada dia mais ignorante.
São jovens perdidos que não estão aptos a nada, e não querem nada. Vivem em busca da ” alegria” consumista da aparência de se ter um celular caro, ou uma roupa dita da moda, que se afastam da fé e vivem de modismos sem nexo.
Perdendo tempo enquanto esperam que as coisas aconteçam ou que a sua juventude seja eterna.           Ou sonhando sonhos impossíveis, e até sem sonhos nenhum.

O que fazer quando se pensa que serão estes mesmos jovens que representarão o futuro?

Está sendo criada uma geração de zumbis? Todos dopados de drogas ou entorpecidos pela tecnologia que ditará cada passo a ser dado?

Amar em nome de Deus?

Série: Não Perca Mais Tempo – 36/45

A vida segue neste ritmo cada vez mais acelerado, hi-tech, wi-fi, atropelado, app…

Tenho certeza de que se existisse um aplicativo que resolvesse todos os seus problemas em um click você baixaria das “stores” da vida. Se fosse de graça melhor ainda.

O homem se interessa tão pouco pelo próximo que até mesmo o cristianismo recomenda fazer o bem ao próximo por amor a Deus 

Vi esta frase dita pelo Mário Sérgio Cortella na rádio CBN e fiquei por dias refletindo.

Realmente evocamos o amor a Deus para pedirmos uma coisa simples: Que cada um aja com amor pelo próximo.

Mas e quem não acredita em Deus? Não precisa fazer nada de bom pelos seus semelhantes?

O que pensa uma pessoa quando não vê seus objetivos alcançados, e o pior estes objetivos não foram alçados porque alguém se interpôs e “roubou” o sonho? Será que a mágoa desta pessoa será superada?

Não vejo como… principalmente em quem é egoísta ao extremo.

Na verdade nem as pessoas que professam uma fé em algo dito divino tem se mostrado mais amorosas ou receptivas. Todos estão com a faca nos dentes e esperando uma oportunidade para suplantar a sua vontade.

Mas tem realmente que ser assim.

Não preciso escrever mais, basta que a frase dita seja motivo de reflexão:

O homem se interessa tão pouco pelo próximo que até mesmo o cristianismo recomenda fazer o bem ao próximo por amor a Deus .

Não é o fazer o bem ao irmão por amá-lo e o considerar um igual, mas sim fazer o bem ao irmão por você (que professa uma fé) amar a Deus. 

Parece uma frase desconexa, mas pense na complexidade do que foi dito, e talvez a gente comece a entender o mundo, e saber porque muitas vezes parece que não somos reconhecidos ou somos o suficiente para muitos.

O homem se interessa tão pouco pelo próximo que até mesmo o cristianismo recomenda fazer o bem ao próximo por amor a Deus .