Que queres que eu te faça?

Teologia Leiga por Milton Cesar

“35.Ao aproximar-se Jesus de Jericó, estava um cego sentado à beira do caminho, pedindo esmolas. 36.Ouvindo o ruído da multidão que passava, perguntou o que havia. 37.Responderam-lhe: É Jesus de Nazaré, que passa. 38.Ele então exclamou: Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim! 39.Os que vinham na frente repreendiam-no rudemente para que se calasse. Mas ele gritava ainda mais forte: Filho de Davi, tem piedade de mim! 40.Jesus parou e mandou que lho trouxessem. Chegando ele perto, perguntou-lhe: 41.Que queres que te faça? Respondeu ele: Senhor, que eu veja. 42.Jesus lhe disse: Vê! Tua fé te salvou. 43.E imediatamente ficou vendo e seguia a Jesus, glorificando a Deus. Presenciando isto, todo o povo deu glória a Deus.”  (Lc 18,35-43)
São Lucas, 18 – Bíblia Católica Online

Leia também: Mt 20,29-34; Mc 10,46-52

A deficiência visual é na minha opinião uma das grandes dificuldades que acomete as pessoas. Um cego sofre muito. Não que os outros tipos de deficiência sejam mais fáceis ou leves.

Jesus em uma das suas visitas a Jericó (com certeza não foi só uma), ele andava cercado de uma multidão pois sua fama já estava em toda a região pelas curas que vinha praticando e também por suas pregações. Então ele passou em meio ao alvoroço logo na entrada da cidade e justamente ali ficava um homem de nome Bartimeu. Cego de nascença que sobrevivia das esmolas dadas.

Vale lembrar que se hoje a sociedade já tem dificuldade de ser inclusiva com as pessoas que sofrem de deficiência imagina naquele tempo. A deficiência física ou mental era encarada como um castigo de Deus e estas pessoas geralmente ficavam a margem da sociedade necessitando de esmolas para sobreviver.

Bartimeu era filho de Timeu o que significa que seu pai era conhecido na cidade, porém não se sabe nada sobre ele, nem na Bíblia e nem em escritos que falavam sobre aquela época, o que se tem são especulações. Apesar de dizerem que Timeu era um ex soldado do exército, na verdade são especulações. O nome Bartimeu significa em hebraico (Bar = filho e Timeu o nome de seu Pai) O filho de Timeu. Nada mais.

Este homem sentiu a movimentação, ouviu o alvoroço e com certeza ficou perguntando a esmo quem estava passando e porque daquele alvoroço todo? Até que alguém deve ter-lhe dado um pouco de atenção e dito que era Jesus o Nazareno. Imediatamente este cego lembrou dos boatos que ouvia sobre os milagres realizados por Jesus e começou a gritar por ele:

Jesus, filho de Davi tende piedade de mim.

E foi gritando cada vez mais alto, a ponto de ser repreendido por alguns transeuntes que ordenavam para que ele parasse de gritar e fazer escândalo.

A história poderia terminar ai, mas Bartimeu sabia que aquela era uma chance de ouro, e então continuou a gritar por Jesus, cada vez mais.

Jesus, mesmo em meio a todo o alvoroço escutou o pedido e já distante pediu que alguns discípulos trouxessem o cego até ele e foi neste momento que algo maravilhoso aconteceu, pois Jesus pergunta (mesmo vendo que o homem era cego):

Cego Gericó

Que queres que eu te faça?

E Bartimeu responde:

Senhor, que eu veja.

E Jesus disse: Vai, a tua fé te curou.

E este cego, começou a enxergar. E começou também a ser um seguidor de Jesus.

Veja bem foi a perseverança daquele cego que fez com que ele alcançasse o milagre. Se tivesse desistido logo o inicio ou se tivesse dado ouvido aos que o reprimiram ele não teria conseguido a visão.

Também é muito interessante ver que Jesus pergunta o que ele quer que seja feito, e não faz o que ele (Jesus) acha que deve, pois respeita a vontade daquele homem.

Na nossa vida, muitas vezes rezamos por dias a fio mas desistimos por achar que está demorando, ou damos ouvido aos que querem faze-nos desacreditar de Deus, e assim perdemos a oportunidade de sermos levados a Jesus e respondermos a sua pergunta:

O que queres que eu te faça?

Devemos sempre saber que na oração, não precisamos de floreios, ou enrolação, devemos ser diretos e dizer para Deus o que queremos de verdade, pois é assim que ele fará aquilo que desejamos. Mas antes não podemos desistir.

 

“29.Ao sair de Jericó, uma grande multidão o seguiu. 30.Dois cegos, sentados à beira do caminho, ouvindo dizer que Jesus passava, começaram a gritar: Senhor, filho de Davi, tem piedade de nós! 31.A multidão, porém, os repreendia para que se calassem. Mas eles gritavam ainda mais forte: Senhor, filho de Davi, tem piedade de nós! 32.Jesus parou, chamou-os e perguntou-lhes: Que quereis que eu vos faça? 33.Senhor, que nossos olhos se abram! 34.Jesus, cheio de compaixão, tocou-lhes os olhos. Instantaneamente recobraram a vista e puseram-se a segui-lo.” (Mt 20, 29-34)
São Mateus, 20 – Bíblia Católica Online

“46.Chegaram a Jericó. Ao sair dali Jesus, seus discípulos e numerosa multidão, estava sentado à beira do caminho, mendigando, Bartimeu, que era cego, filho de Timeu. 47.Sabendo que era Jesus de Nazaré, começou a gritar: “Jesus, filho de Davi, em compaixão de mim!” 48.Muitos o repreendiam, para que se calasse, mas ele gritava ainda mais alto: “Filho de Davi, tem compaixão de mim!” 49.Jesus parou e disse: “Chamai-o” Chamaram o cego, dizendo-lhe: “Coragem! Levanta-te, ele te chama.” 50.Lançando fora a capa, o cego ergueu-se dum salto e foi ter com ele. 51.Jesus, tomando a palavra, perguntou-lhe: “Que queres que te faça? Rabôni, respondeu-lhe o cego, que eu veja! 52.Jesus disse-lhe: Vai, a tua fé te salvou.” No mesmo instante, ele recuperou a vista e foi seguindo Jesus pelo caminho.” (Mc 10, 46-52)
São Marcos, 10 – Bíblia Católica Online

 

 

Jesus curou dois ou um cego em Jericó. A primeira vista parece que existe uma confusão entre as narrativas, pois os evangelistas Mateus e Marcos citam a cura de dois cegos e Lucas cita a cura de um cego e ainda aparece o nome dele, Bartimeu. Outras dúvidas existem no texto: afinal esta cura foi quando Jesus entrou em Jericó ou saiu de Jericó. (conferir os textos: Mateus 20,29-34; Marcos 10,46-52 e Lucas 18,35-43). Para entendermos estas modificações no texto, hoje existem estudos que nos ajudam e dão uma luz na interpretação das alterações. Um ou dois cegos? A diferença de narrativas que aparece nos três evangelhos é uma contradição? É claro que não. Os evangelistas estariam falando a verdade, mas relatando o fato da cura de uma maneira diferente. Eles deram ao milagre do cego, narrativa oral que conheciam no momento e fragmentos escritos, considerações próprias que acreditavam ser importantes e que poderiam ser facilmente entendida pelos que iriam ler e ouvir nas comunidades respondendo a obra de evangelização que realizavam: tornar conhecido Jesus Cristo. A cura do cego vem narrada em três evangelhos. Naturalmente trazem elementos importantes tais como: a contribuição do autor em cada narrativa evangélica; as comunidades onde o texto surgiu; a época em que foram escritas; os locais no Império Romano (como Jerusalém, Roma e Antioquia); e os cristãos que existiam neste tempo. A concordância sinótica nos ajuda a entender as diferenças do texto Os três Evangelhos postos em concordância sinótica, concluí que Jesus não foi a Jericó uma só vez, mas sim diversas vezes. (Caso de Mateus é uma exceção na sua narração coloca apenas uma viagem de Jesus a Jerusalém). Entre as vezes que para lá se dirigiu, em duas delas curou cegos: uma vez foi Bartimeu, filho de Timeu, quem recebeu a graça; outra vez foram outros dois cegos que também tiveram a restituição da vista. Na hora de colocar este milagre na narrativa do evangelho, os autores utilizaram as narrativas orais que existiam, e possivelmente acrescentaram elementos catequéticos no texto. Em outras palavras eles queriam dizer a Comunidade que é preciso (abrir as vistas) enxergar o caminho que Jesus deveria fazer: ir para Jerusalém De qualquer modo, não há uma dificuldade intransponível nessa passagem. Os relatos podem ser entendidos de uma maneira perfeitamente compatível, se levarmos em conta estas considerações elencadas acima. ( Extraído do site Bíblia.org)